quarta-feira, 20 de junho de 2018

Tu e as pessoas

As pessoas são más. Sê tu bom. As pessoas são egoístas. Sê tu generoso. As pessoas são fúteis. Olha tu para o essencial. As pessoas são calculistas. Sê tu simples. As pessoas são invejosas. Deseja tu o bem a todos. As pessoas são mentirosas. Diz tu a verdade.


É difícil? Sim é. Muito difícil. É difícil não responder na mesma moeda. Mas o mundo só poderá mudar assim. Não há outra maneira. Não há outro caminho. 

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Uma oração por dia #1

Pai
Que a Tua luz ilumine a minha escuridão
Que a Tua paz destrua a minha guerra
Que a Tua coragem silencie o meu medo
Que a Tua graça destrua o meu pecado
Que a Tua beleza transforme a minha miséria
Que a Tua misericórdia inunde a minha fraqueza
Amén

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Hojé é dia de todas as crianças

Imagem da reportagem de Bostjan Videmsek

Hoje penso nas crianças da minha vida. Meninas e meninos felizes, saudáveis e com uma vida cheia de tudo o que é necessário para se tornarem pessoas equilibradas. E sinto-me grata e feliz. Depois, penso nos milhões de crianças pelo mundo fora que não sabem o que é ser criança. Meninos da guerra, da fome, da miséria e da falta de tudo. Acho que hoje, o dia devia ser especialmente para eles...e para nos lembrarmos de ensinar às nossas crianças o valor de serem gratas pelo que têm e a importância de um coração que se comove com os que sofrem. 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

A última comunhão.

O dia é de festa. As mamãs e os papás, uns meses antes, vão comprar às meninas e aos meninos as melhores roupinhas. Marca-se vez no cabeleireiro e contrata-se um fotógrafo para registar o dia. Preparam-se os almoços mais deliciosos e os bolos mais bonitos. Convida-se a família e os amigos porque o menino ou a menina vai ler ou cantar e então é preciso ver o momento. Antes da hora da missa vai-se para a Igreja para preparar a procissão com as crianças todas alinhadinhas. As pessoas sorriem e comentam "oh que queridos" "oh que lindos" "oh que vestido tão bonito". Tiram-se muitas fotos e espera-se que a missa passe depressa que o mais importante é o almoço e "esperemos que o padre seja rápido na homilia que há mais que fazer". Os meninos e as meninas "tomam a hóstia" e mais umas quantas fotografias. Que festa tão bonita! Afinal o momento merece. Para a maioria é a despedida da catequese, da Eucaristia e de tudo o que à Igreja diz respeito. Afinal, já se vestiu o vestidinho e o fatinho e já há fotografias para comprovar. Agora, se calhar, lá para o Crisma os meninos e as meninas regressam à catequesa, um ou dois meses antes porque para ser madrinha ou padrinho é preciso ter um papel que o comprove. Depois, um dia, se calhar, também se volta para "casar pela Igreja" porque afinal é muito mais pomposo e "chique". É que a Igreja é uma seca, uma hipocrisia e "os que andam lá são piores que os outros". Mas pronto...para fazer as festinhas até dá jeito. Por isso, o dia é de festa! Afinal é a última comunhão. Ou a primeira de uma dúzia. 

terça-feira, 22 de março de 2016

O mundo perdeu o Norte.

O mundo perdeu o Norte. A história diz-nos que o ser humano sempre teve a tendência de se auto-destruir. Mas diz-nos também que nunca como hoje, o fez com tanto despudor, com tanta loucura, com tanta desumanidade. Pensamos nas tragédias humanitárias do passado e achamos que fizemos caminho no que toca ao respeito pelos direitos humanos...mas depois, continuamos a violar a vida como se fôssemos donos disto tudo. Continuamos a condenar o terrorismo mas aceitamos naturalmente o aborto, como se não se tratasse também de uma forma velada de terrorismo contra uma vida que não se pode defender. Continuamos a condenar as desigualdades sociais mas quando ouvimos a notícia de que morreram não sei quantos seres humanos afogados porque tentavam salvar a vida, mudamos de canal para que a comida não caia mal. Depois, condenamos "os outros", essa escumalha que veio de longe, quando o terror nasce no coração da Europa, em bairros de gente que não tem nada a perder e que por isso, procura um sentido para a vida ainda que seja na morte... Quando os interesses económicos se sobrepõe a tudo o  resto, quando o dinheiro se torna o bem supremo, quando os poderosos subjugam tudo a seus pés, o desfecho, só pode ser este.  Vivemos pendurados na corda bamba entre dois abismos...o do fanatismo e o da ausência de Deus. Sim. Tenho a convicção de que a raiz de todo este terror está no antropocentrismo cego para o qual somos empurrados. Vivemos desequilibrados num relativismo doentio em que tudo é aceitável e discutível, desde que não mexa com a nossa vidinha sossegada. 
O mundo perdeu o Norte e após tantos anos depois de Jesus ensinar como se ama, a custo da própria vida, ainda não o encontrou. 

sexta-feira, 11 de março de 2016

O caminho da cruz

Que difícil é a humildade! Que difícil é morrer todos os dias...Morrer para o orgulho, para a vaidade, para o ego, para o brilho...Que difícil é não querer os aplausos e os elogios das multidões! Que difícil é o caminho do deserto Senhor! Que difícil!... Há uma tentação constante de agir em função dos aplausos, dos elogios, das palmadinhas nas costas...uma tentação constante de acreditar que está aí o sentido das coisas. Uma tentação constante de percorrer o caminho da glória. O caminho largo e alcatroado do sucesso...E depois, damos contigo a ensinares o caminho do deserto. O caminho do silêncio. O caminho da confiança. O caminho da cruz. Que loucura Senhor! Que loucura é esta? Que loucura é esta que me pedes todos os dias, a toda a hora? O caminho da cruz.. Não...não faz sentido! Não quero! Resisto. Tento inventar-te e encontrar-te noutro lugar, noutra rota. Faço desvios. Desvio o olhar para não ver a verdade. Deslumbro-me com outras coisas. Aqui sim sou feliz! Aqui, neste caminho largo, sem percalços. Neste caminho direitinho e seguro e plano e previsível e...vazio. Vazio e estéril. Vazio.
É então que olho para o caminho da cruz...turtuoso, íngreme, difícil! Tão difícil Senhor! Tão difícil! Tu sabes tudo! Sabes do que falo!...e mesmo assim, só me pedes para confiar. E para caminhar. Confiar. E caminhar. Percebo que há pedras que me magoam os pés. E que há chuva e vento. Mas há também flores! Muitas flores! Milhares de flores! E pássaros no céu e rios e montanhas e pessoas! Há vida! E há encruzilhadas que me permitem sempre voltar atrás. Mas já não quero. O peso do vazio estéril é muito mais difícil de suportar...o peso das minhas seguranças é um peso que não me leva a lugar nenhum. O peso da cruz afinal é o único que faz sentido carregar porque me impele à confiança de seguir. E confiar. 

domingo, 21 de fevereiro de 2016

A ecoar na minha cabeça...

...Parte do salmo deste II Domingo da Quaresma:

"Confia no Senhor, sê forte.
Tem coragem e confia no Senhor."

Ser forte...
Ter coragem...
E confiar em Ti..

É tudo o que preciso. Ajuda-me Senhor...